08 jan, 2018

7 Tendências do setor Food Service em 2018

por mktchef em Consultoria

Encontrar um lugar de destaque no concorrido setor de gastronomia não é uma tarefa simples. E no Brasil, esse objetivo pode ser ainda mais espinhoso, já que o setor é um dos mais fortes na nossa economia. Por isso, é importante ficar atento às tendências do setor Food Service e estar sempre um passo à frente.

Se você está pensando em abrir um negócio na área, é importante saber o que já foi tendência, o que saturou o mercado em 2017, e o mais importante, o que vai bombar esse ano no mercado gastronômico.

Para responder a essas questões, foi lançado o material “Brasil Food Trends 2020” (em tradução livre, “Tendências Alimentares Brasileiras 2020”). Publicada pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), com apoio de instituições e outros colaboradores, essa publicação apresentou as principais tendências do setor gastronômico brasileiro em 208, e a Marketing Chef traz os principais dados para você. Confira abaixo:

1. Comidas saudáveis

De acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), com 2.406 brasileiros, 80% das pessoas têm a consciência de que precisam mudar os hábitos alimentares.  Além disso, 64% dos entrevistados revelam que o consumo de produtos orgânicos está relacionado à saúde.

Em 2017, os menus com comidas saudáveis, que foram tendência em todo o mundo, e devem continuar com muita força agora em 2018, já que acompanha a busca por um mundo melhor, na mesma medida em que apoia ingredientes locais e sustentáveis.

O conceito de saudabilidade, que tem como objetivo incentivar a prática de hábitos saudáveis para o corpo e para a mente, é a grande aposta para este ano. O desafio de restaurantes e empreendedores é trazer alimentos que unam a saudabilidade com o sustentável e valorizem os produtos locais – além de claro, unir muito sabor a toda essa fórmula.

2. Conveniência

Quando você pensa em alimentação fora de casa, praticidade é a palavra de ordem. Por isso, restaurantes que combinam agilidade com entrega de serviço de qualidade são uma tendência constante.

Mas, em 2017, o que causou frisson foram as mesas coletivas, restaurantes sem garçom, com entregas muito eficientes. Esse modelo, além de mais despojado e atrativo para o público, deve se manter em alta agora em 2018.

Esse tipo de negócio pode ser uma boa opção para diferentes tipos de casas, como cervejarias, hamburguerias e pizzarias com rodízio, já que a alta rotatividade é não apenas desejada, como necessária nesse tipo de comércio.

Seguindo essa onda, outros recursos como o autoatendimento, também podem ser explorados pelos empresários do ramo, como uma saída para diminuir custos com a equipe e pressionar a rotatividade de lugares.

3. Super pós

Entrando na onda dos suplementos proteicos e a alimentação cada vez mais funcional, entram os superalimentos em pó, como o pó de açafrão, a spirulina, o matcha e claro, os suplementos proteicos, que podem auxiliar tanto no reforço muscular, quanto funcional.

Eles são fáceis de incorporar em receitas como sopas, lattes e barras energéticas e bastante ricos nutricionalmente.

4. Sabores do Oriente Médio

Além dos já muito conhecidos húmus e falafel, os sabores do Oriente Médio prometem surpreender a muitos paladares este ano. Seja com temperos como harissa e cardamomo, ou de forma mais suave, trazendo uma leve fusão com romã e hortelã e frutos secos, a culinária dessa região promete ser uma das grandes apostas em 2018.

5. Origem

A origem local, e o bem estar dos animais e frutos tem se tornado cada vez mais importante para o consumidor final, que quer saber cada vez mais além dos rótulos. Essa tendência vem de encontro a de rastreabilidade, outra forte tendência do setor este ano.

A rastreabilidade surgiu devido à necessidade de saber o local em que um produto se encontra desde o plantio, até a compra pelo consumidor final. Isso significa que o uso de alimentos orgânicos e livres de crueldade animal tem lugar cada vez mais cativo na escolha final do seu público.

Na mesma onda, vem também os alimentos veganos, sem nenhum tipo de origem animal (como carnes no geral e queijos por exemplo), e alimentos sem lactose, ou até mesmo sem glúten.

6. Tacos

Febre nos Estados Unidos há muitos anos, os tacos prometem chegar com força total no Brasil, misturando os sabores mexicanos com a nossa culinária, trazendo uma fusão gastronômica quente e vanguardista.

Grandes redes de fast-food, como a Taco Bell previram essa tendência e já lançaram alguns restaurantes por aqui, mas, como vimos na tendência anterior, endereços nacionais, que comercializam produtos com origem comprovada, devem ter ganhos mais expressivos.

7. Aproveitamento

A última e mais forte tendência de 2018 deve ser o aproveitamento total dos alimentos. Pratos com muitas texturas do mesmo ingrediente, ou o uso de talos, folhas e cascas geralmente desprezados ganham roupagem elegante e renovada. É menos desperdício e mais saúde no prato, já que traz todos os nutrientes, além de mostrar todo o talento do cozinheiro.

A última e mais forte tendência de 2018 deve ser o aproveitamento total dos alimentos. Pratos com muitas texturas do mesmo ingrediente, ou o uso de talos, folhas e cascas geralmente desprezados ganham roupagem elegante e renovada. É menos desperdício para o dono do restaurante e mais saúde no prato do consumidor.

Essa tendência é a mais forte do setor este ano e deve se manter quente pelos próximos anos, porque traz todos os nutrientes, além de mostrar todo o talento do cozinheiro.

O que achou dessas tendências?

2018 já chegou, e com o novo ano vêm novos desafios e claro, oportunidades de se destacar no mercado. Vai apostar em alguma?

 

Redação Marketing Chef